As Cenas Hilárias de Sbrubbles

Estava eu lendo uma matéria fantástica do Buzzfeed e concordando em 200% com tudo o que estava sendo falado, já que tinha sido divagado na minha cabeça... 
Quando lemos cenas de amor super mega in love nos nosso livros de romance, basicamente elas consistem da mesma performance épica. 
Não diferencia muito das cenas de amor que vemos em filmes ou seriados. Cenas estas que receberam a zoada do Buzzfeed. 
São sempre as mesmas pegadas, as mesmas estruturas cenográficas, o mesmo style. 
Mas na hora do "vamo vê", é tudo muito diferente...
Então, se enquadrarmos tudo o que está no visual, para o mundo literário que tanto amamos, dá pra gente divagar com a mesma intensidade, bem ao estilo a la Martinha.

Vamos lá... 
Eu tenho certeza que já falei sobre isso várias vezes em posts meus. A tão clássica cena da mulher-pochete. Todo livro de romance, erótico, hot ou o escambáu que se preze, tem que ter essa cena clássica e épica, onde o mocinho ergue a mocinha no colo e sai carregando a criatura com a maior desenvoltura do mundo, levando-a para seu recanto do prazer, ou melhor ainda, lhe dando uma catracada monstro, naquela posição inglória mesmo. 
Vamos lá,... ao vivo e a cores a coisa muda de figura. Os machos da espécie têm, necessariamente que ter bíceps e tríceps muito condizentes com malhação forte e intensa, de carga máxima e constante, que permita carregar e erguer um peso em movimentos repetitivos, como uma constante malhação. Um ciclo de exercício de levantamento de pesos de academia, normalmente vai de 3 séries de 15 repetições, certo? Só daí você já matou o nível da evolução do orgasmo que estava sendo construído, se a mulher estava encaixada na estrutura pélvica do rapaz.
Continuando nessa sequência, vemos que, o rapaz tem que ter uma força bruta para erguer um peso acima de 50 kilos ( tô colocando por baixo, sendo que o peso médio das brasileiras, de acordo com pesquisa, é de 59,6 kgs). Ou seja, o rapaz tem que fazer uma série evolutiva de levantamento de peso acima de 50 kilos, encaixado no abdômen, com constante fricção, em ritmo constante, para que se chegue ao Nirvana.
Gente... haja braços. Haja quadríceps para aguentar. Haja abdômen. Haja tudo. Isso porque estou só do lado masculino.
Vai para o lado da moça... haja alongamento de abdutores, haja musculatura para segurar a posição, haja braços para conseguir manter-se, porque não é só o parceiro de dança que tem que manter o passo, certo? 
Okay... Essa cena clássica precisa, necessariamente, de auxílio. Uma parede, que sempre aparece nos livros, uma bancada de cozinha, uma mesa... clássico. 

Culminante à cena da pochete sexual, partimos para a cena máxima do prazer, a cena do chuveiro. Todas as mulheres tiveram delírios e sonhos eróticos com a cena de Christian Jamie Dornan Grey, dando uma catracada forte em Anastacia cara de sonsa Dakota Johnson Steele, em 50 Tons mais escuros. A cena do chuveiro, de roupa e tudo... ufaaaa... Mulekiiii doido...
Eu ali já tinha perdido o fôlego só na porrada que ele deu com a pancada nas costas. O impulso intenso já teria me feito fazer um "ooompft!" da porra... mas quem liga? certo? Hahahah...
Daí, some ao fato as roupas encharcadas depois pedindo pra sair... pelo amor dos meus sais... quem, em são consciência, consegue tirar roupas molhadas com tamanha facilidade? Se desabotoar a poha de um botão, tem vez que é uma merda?! Que dirá quando o tecido está molhado? E se estiver ensaboado? Aí fudeu!
Okay... o sabonete não entrou na história aqui ainda.
Estamos ainda no chuveiro... cena clássica. O cara consegue fazer o movimento pochete com a moça... molhada. Ensaboada ou escorregadia de xampú... pior... condicionador... aaaaahhhh... para! Nunca, mano. Never. Nem Chris Hemsworth consegue. Por favor. Quer dizer... pode ser que ele consiga, já que a esposa dele é minúscula, ele é enorme, logo, ele consegue fazer uma garra firme e tal. Se as estruturas das paredes do chuveiro dele forem com textura, pode ser que tenha uma aderência melhor também... mas aí sou eu viajando... Agora pense... o banheiro tem que ter um espaço monstro também, porque cotovelos não se chocam com box de vidro ou parede, ou a própria alavanca do chuveiro, prateleira dos produtos e saboneteira e essas coisas...
Cara... vamos pensar comigo... água + sabonete + xampú + condicionador + fluidos corporais + diferença de altura óbvia entre os parceiros + paredes lisas dos azulejos - chinelas havaianas ( pq duvido que os personagens entrem de chinelos... vc já leu algo sobre isso?) = possível acidente escorregadio na certa.   Consequentemente, possível lesão e estadia no hospital mais próximo. E total quebra do clima sexy. 



Daí, vamos evoluir um pouco para outra cena, onde a diferença de altura é um fator importante. Normalmente nos livros, isso nunca parece fazer diferença alguma. Mas se você já teve um problema com isso, sabe muito bem que na hora H, se vc for mais baixa que o cara, o lance de fazer o sbrubbles de pé, complica um pouco. O cara vai ter que se inclinar. Quando ele se inclina, ele arqueia a coluna toda, o que quase o coloca na postura do Gollum, do Senhor dos Aneis... é meio que medonho... hahahahaha...

Então... "horizonte-se"... vá para a superfície plana mais próxima... daí, observe que se o cara for muito alto, mano... esse lance de olhos nos olhos realmente é meio complexo... pq, se vc for baixinha, quando o cara se encaixa, teu rosto fica na altura do pescoço dele. Ou dos peitos. Ou whatever. A não ser que o cara seja uma super Anaconda e consiga um longo alcance, para que os rostos fiquem colados e ainda assim haja um encaixe perfeito. 




Uma coisa que temos lido muito nos livros, e vamos dar uma salva de palmas para as autoras, pois o blogueiro do buzzfeed questionou esse fato nos filmes, mas nos livros está havendo uma vertente diferente... Nos filmes, nunca há uma referência de discussão sobre prevenção de doenças, gravidez relâmpago, uso de preservativo e pá. O casal se encontra e tchum! Tá na boca do gol. 
Nossas amadas autoras pelo menos entraram na vibe do politicamente correto e hoje vemos até mesmo uma pausa para para o café, momento diálogo do casal:

- Oi, você toma pílula?
- Tomo. Estou protegida. Fiz exame recentemente. Também estou superlimpa... e você?
- Eu nunca transei sem camisinha antes, e fiz um exame de sangue anteontem, olha que coincidência... estou limpo... 
- Maravilha...
- Okay... vamos lá..

Tá nesse nível de amor. Acho lindo. Hahahhahahahaha...

O lance da perikita de ouro. Isso é clássico. O cara pode ser o mais libertino de todos os homens. Já comeu metade das mulheres do planeta. Mas há algo de muito tóxico e viciante na perseguida daquela mocinha ingênua, que muitas vezes nem sabe o que está fazendo, consegue colocar o homem doiiiiiido das ideias. 
Mano... muitas vezes nem rola um bate-papo entre os dois, saca? A mocinha nem pergunta o que precisa fazer e tal. Ela parece que já nasce sabendo. Quando a mocinha é virgem então e sabe dar um bola gato sinistro ( vulgo, boquete ), eu chega me arrepio e me sinto incompetente, pq amigas... eu muitas vezes senti necessidade de assistir uns tutoriais para manjar a parada certa. Certas narrativas das autoras condizem com horas e horas assistindo pornô para poder descrever tamanha performance no ato. Vou te contar...

Outra coisa que acho uma das mais engraçadas de todas. Eu sempre rio. É tiro e queda. Sempre dou risada, porque me lembro do dia-a-dia. Da realidade nossa e tal. 
A hora do tirar a roupa. Mano... na hora dos filmes, seriados, novelas e livros é sempre aquela coisa sexy pra caralho. Quase com direito a música. Muitas vezes estou lendo um livro e posso jurar que stou ouvindo a trilha sonora. Quando percebo, vejo que estou de fone de ouvido. Hahahahahaha...
Okay... desabotoar os botões é sexy... fazer a retirada da camisa, descendo pelos ombors másculos? Sexy. arrancar a camiseta por trás ou pela frente? Sexy. Abrir o zíper da calça? Sexy.
Parou aí. A partir do momento de arrancar as calças com cuecas junto e meias e sapatos... putz... sério... pense comigo aqui. Você consegue visualizar o cara arrancar as botas ou tênis ainda de pé. Show. Um calcanhar arranca do outro e tal. Mas mano... na hora das meias, ou ele levanta a perna e puxa, ou tem que se sentar para tirar... e rezemos para que o cara não tenha chulé, porque senão, mata o clima. Sério. Ninguém nunca pensa no chulezão na hora, neh? Consegue imaginar aquele motociclista fodão, supergato, com uma bota suada o dia inteiro, a meia desgracenta que deve estar usando desde o dia anterior ( pq nunca narram que pegam uma meia limpa...)... conseguem sentir o odor? 
Parei.
Então... daí a cena na nossa mente, no livro, sei lá... é linda... parece uma coisa de Magic Mike... mas eu, na verdade, sempre fico rindo. Porque sério... homem é meio tenso na hora de abrir o zíper da calça... eles têm o maior medo de prender no ... biláu... hahahah... Outra coisa inconcebível pra mim... quando falam que o cara está sem cueca... oi? de calça jeans, sem cueca? a costura ou o tecido não irrita a mercadoria não? 



É sério... apenas parem para analisar. 
Uma das coisas que sempre me surpreende demais da conta é quando o casal se engancha num momento hot lindo, o cara faz um bagulho pochetesco com a mulher, logo, ela está encaixada como uma peça lego nele, daí, ele consegue tirar a calça e a calcinha dela e vrum... entra na garagem. Oi? Como? Coooomo? anatomicamente isso é inviável pra mim! Porque as pernas da mulher estão em volta do tronco do cara, certo? Logo, como a calça saiu, seguida da calcinha, passando pelas pernas que estavam devidamente presas? Mano... esses machos são tipo Houdini, véi... eles fazem as roupas das mulheres pulverizarem rapidamente. 
Se for livro sobrenatural eu ainda respeito essa treta. 
Um lance engraçado também é como as roupas voltam com tamanha facilidade. Não há relatos de melecanças nas partes e nem nada.

Outra cena cósmica dos livros é no quesito pós orgasmo sideral. É muito simples como nos livros some a necessidade que temo de ir ao banheiro dar uma limpada na área pra dormir limpinha... e no caso dos machos, pagar um pips básico, que é fisiológico. Nos livros não... os caras dão uma aconchegada nas minas, puxam pro abraço e partiu dar um High Five com o Morpheu.
Como o artigo do Buzzfeed tão bem ilustrou, a galera esquece das possíveis complicações de uma infecção urinária e falta de higiene mesmo.



Cenas de livros onde as mocinhas sempre estão com as roupas íntimas combinadinhas... quem já leu? E quem aqui já saiu pra vida, pra rua, pro trampo e estava com uma peça completamente diferente do par? Quem nunca? Eu sempre. Mano... pra dizer a verdade, a maioria das minhas roupas íntimas são de cunho totalmente confortável, nada sexy, tipo meia cor da pele, like Lupo mesmo, que acostumei quando fazia estágio de fisio e tinha que usar calça branca obrigatoriamente. Como não queria mostrar para os pacientes qual era a cor da bandeira nos países baixos, optei pela essência do minimalismo. 
E assim acostumei. E muitas vezes o sutiã é esportivo, com decote nadador, sacam? Porque uso muitas camisetas regatas nesse estilo, daí os sutiãs com fechos frontais muitas vezes são desconfortáveis.
Agora, claro.. isso não é regra, certo? Isso sou eu. Tenho certeza que muita gente aqui usa tudo combinado. Certeza. Até mesmo porque a máquina de lavar roupa separa tudo muito certinho logo depois da lavada e facilita sua vida. Hahahhahahahha...

O que as autoras narram e a gente imagina
O que nós, reles mortais,usamos de verdade



Enfim... em filmes e livros, as mocinhas sempre estão no maior primor. E os mocinhos sempre estão com suas cuecas boxers sexies pra carái Calvin Klein ou Armani Exchange e essas coisas lindas de machos... nunca são aquelas cuecas medonhentas de 600 anos atrás, que os caras usavam desde os primórdios, lavam sem amaciante e estão mais relaxadas que musculatura de praticante de yoga. Muitas vezes o uso das ditas é até irrelevante, porque não estão segurando absolutamente nada. O pássaro de fogo pode pular pra fora a qualquer momento pelas costuras... hahahahhahaha...

O que achamos super secy
O que nos deparamos ( olhem a cueca, safadas!)


A facilidade com que as mocinhas ficam úmidas é uma coisa que me surpreende muito. Realmente. É algo bem interessante. Quase com direito a análise criteriosa e telefonema para a médica para averiguar o funcionamento dos parangolés hormonais e tchururu. Porque, mano... quando os caras viram e falam que as minas estão tipo encharcadas... eu penso em enxurrada total... e aí eu penso... uou... essa moça vai desidratar desse jeito, coitadinha... ui... inclusive... vcs sabiam que o uso da palavra "coitadinha" vem de coito? de alguém que está sofrendo coito? coitada. Sacaram? Pérfido esse nosso português sacana.

É isso... no mais... existem milhares de outros fatores que eu poderia passar horas aqui divagando para vocês... mas aí viraria praticamente um livro... e perderia  função de vocês lerem o bagulho online... E eu seria acusada de consumir os dados de todas vocês... Hahahaha...

Pensem em mais situações hilárias que vocês sempre se deparam nos livros e que na hora H é extremamente diferente ou pode até ser similar, mas nunca no mesmo nível reportado, ou com o mesmo glamour.

Aconselho darem uma lida no artigo do buzzfeed que também é hilário. Eu rachei de rir.

Bjuuuu


4 comentários:

  1. Eu e Simone conversávamos sobre exatamente isso e rimos muito! Tem cenas que na vidar real não funcionariam. Já imaginou o cara fazer uma viagem de moto com longa duração no calor, calça de couro, botas, camisa, jaqueta e mais o colete do clube... chega no clube com tudo suado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ainda chega todo macho pra Old Lady e fala: "Vai lá embaixo, moça". Cara... eu penso... será que não está assado? Azedo? Passado da validade? Um banho não seria um pouco legal?

      Hahahahha

      Excluir
  2. Rindo horrores! Feliz de saber que existem seres normais como eu. Normalmente chamo esses casais de ninja. . .

    ResponderExcluir
  3. hahahahah... vc é o máximo! Por mais que ame esse tipo de livro. todas essas coisas já me passaram pela cabeça. E tem mais 2 coisinhas:
    1) Ninguém fica com a periquita em chamas não? Transar direto e reto por horas a fio e várias vezes ao dia... tô fora pq depois não vou conseguir nem fazer um pipizinho!
    2) Quando leio romances de época tipo Julia Quinn, que eu amo, fico pensando na falta de higiene daquele tempo, ainda mais na Inglaterra com aquele frio todo, e a mocinha ou o mocinho cair de boca nos parangolés sem nem mesmo passar um pano úmido... hahahahahaha

    bEIJOSSSSSS

    ResponderExcluir